segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Museu du Ritmo e a tragédia da Fonte Nova


Fui ao show de Carlinhos Brown nesse domingo, primeiro para ver aquele ambiente funcionando, já q só o tinha visitado vazio. O espaço é fantástico, inovador, com um palco no meio da "pista", o que permite às pessoas verem o show de qualquer posição. Muita criativadade na decoração do palco, arrasou com um convidado angolado "Dog" que veio ensinar os baianos a dançar o cuduro. Muito bom! Em parelelo, a galeria apresenta uma exposição de artistas plásticos baianos, digna de ser vista com calma, fica até dezembro.
Junto à festiva noite, tomei conhecimento da tragédia da Fonte Nova. Sete mortos até agora! Muitos feridos! Segundo o Sindicato da Arquitetura e da Engenharia - Sinaenco, o estado de abandono da Fonte Nova é dramático. Lamentável, como sempre aqui ninguém cuida de manutenção, espera morrer gente para acordar para o problema. Segundo um encontro de Arquitetos e Construtores, o Enaeco, que ocorrerá em 30 de novembro,"o evento insere-se no conceito adotado pelo setor de arquitetura e engenharia consultiva de que é necessário pensar antes para fazer melhor, ou seja, planejar com antecedência para evitar problemas, como os que infelizmente vimos acontecer nas obras para a realização dos Jogos Pan-Americanos, em julho, no Rio de Janeiro”, explica José Roberto Bernasconi, presidente do Sinaenco, sobre as obras para 2014.
A Fonte Nova foi alvo ainda de uma ação civil pública ajuízada no ano passado pela promotora Joseane Suzart no Ministério Público Estadual, que pedia a interdição do estádio, e de um relatório do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia que apontava a praça esportiva como a pior do Brasil.
Aguardemos! O "cacos" não vai descansar enquanto não desistirem dessa insanidade de demolir a Fonte Nova, para implantarem algum projeto faraônico com o único intuito de sediar alguns jogos da Copa. Temos muitas outras prioridades, nosso Estado é pobre, índices de IDH entre os mais baixos do país e não podemos nos dedicar a uma sandice dessas.

4 comentários:

Anônimo disse...

E assim vivemos, de mediocridade em mediocridade, defendendo o que já não tem defesa, resistindo ao novo, se apegando ao que não tem mais serventia.

Não queremos crescer a taxas chinesas? Não queremos melhor infra-estrutura? Não queremos mais empregos?

A forma se vai, mas o espaço fica. Um novo e moderno estádio, além de BELEZA, conforto e segurança, movimentará a economia, gerará empregos, valorizará aquela região da cidade atraindo turistas e projetando o nome de Salvador, que neste momento é lembrada apenas por possuir uma das piores arenas esportivas do país.

Que venha a nova Fonte Nova. Que seja palco de novos embates que se tornem lendários, que seja motivo de orgulho para os baianos. Oxalá o projeto arquitetônico que será apresentado em breve seja digno de uma cidade de tantas tradições como Salvador.

cacos meus botoes disse...

Meu medo, anônimo, é o inevitável superfaturamento dessas obras, desde a demolição até a construção de um estádio novo. E as empreiteiras comemorando, por anteverem a possibilidade de lucro, muito lucro! Não é apego ao que não tem mais serventia, não, é ter a certeza que uma demolição é realmente mais viável economicamente e com garantia de segurança para os usuários. Até quando a ganância virá no lugar do respeito à vida humana? Por aqui parece que essa concepção ainda vai demorar muito! Lamentável!

Anônimo disse...

Seu medo é apenas o superfaturamento? Tem idéia de quanto o "consciente" Carlinhos Brown recebeu do Faz Cultura para o "Museu do Ritmu", que de museu não tem nada? Vc sabia que o Museu du Ritmu, nao tem sequer alvará de funcionamento? isso porque nao atende a nenhum critério de acústica, proteção contra incendio.
já parou para pensar se a comunidade do Santo Antonio e Carmo consegue ficar em casa tranquilo c/ aquele barulho infernal?
Quanto à Fonte Nova, creio q antes de qquer posiçao, nao seria prudente uma avaliaçao estrutural do estádio? dependendo da situaçao atual, é fato q seria mais barato a construçao de um novo estádio?

cacos meus botoes disse...

Obrigada, anonimo, pelas observacoes. Realmente nao sei qto Carlinhos Brown ganhou do Faz Cultura, talvez vc pudesse nos dizer, essas informacoes sao fundamentais, transparencia sempre, é a minha tese.
Sobre a urgencia de, no calor dos fatos, decidir-se pela demolicao da Fonte Nova me pareceu muito precipitado, concordo plenamente q um estudo mais cuidadoso possa decidir pelo mais razoavel. Wagner, depois de dizer q nao sabia do relatorio condenando o estadio, tentou "consertar" dizendo q iria demoli-lo. Foi pior a emenda. Sempre decisoes serias como essa devem passar por estudos serios. De novo, obrigada pelas observacoes, e espero mais detalhes de Brown com o Faz Cultura, se vc puder nos dar. abraco, c.