sábado, 22 de março de 2008

Reflexões de Mutá


Por sugestão de Paulo Galo, do blog do galinho, um dos amigos de "cacos", estou aqui nesse paraíso onde somos todos amigos do rei. De lambuja encontrei hoje à tarde com todo o pessoal do Barlavento, isso é que é celebridade, indo tocar em Nazaré. Abaixo, reflexões sob a forte chuva desse sábado de aleluia.

Houve um tempo em que cada ser humano podia viver, no máximo, 100 anos. Esse era o tempo da ignorância.
Nietzche matou Deus e aguardava, com isso, muitas auroras. Não alcançou, coitado!
Marx quis matar o capitalismo com a doença infantil do comunismo. Ao deixar o lúmpem fora desse jogo cometeu um erro cruel e foi castigado pela história.
Freud estabeleceu o inconsciente, radical revolução de perspectivas, onde o eu não é dono nem de sua própria casa. Esbarrou no rochedo da castração.
Lacan superou o mestre, propondo a travessia do rochedo, a travessia da castração. Esbarrou na sua masculinidade e morreu como $ (sujeito barrado).
Hoje a psicanálise realiza o sonho de Lacan que, ao propor a propagação do discurso do psicanalista (1970), já não espera sua articulação e suas consequências. Coloca-as em ATO.
Qual o limite do homem? Pergunta oportuna para ano de jogos olímpícos. Realizada a metáfora do Nome do Pai, ou seja, dentro da Lei, não há limites.

3 comentários:

paulo galo disse...

Muito bem , menina Chris, achou um lugar perfeito para suas reflexões filosóficas, hein?
Beijos!

Anônimo disse...

Muito interessante!
Eu também ando a ler psican+alise e já fui analisado por alguns anos.
Poderia me explicar o que é isso do "rochedo da castração"? Freud criou o complexo de édipo ou da castração, não?
E como é que Lacan o ultrapassou?

cacos meus botoes disse...

Caro anônimo,

Para Freud, haveria um ponto irredutível na análise, de onde interpretação nenhuma faria mais efeito, a isso ele chamou de "rochedo da castração", essa barreira intransponível.

Lacan decidiu que se poderia ir adiante desse rochedo, realizar a "travessia da castração", estar mais além da castração, ao propor a mudança de discurso, do discurso da histérica para o do analista. É isso que se chama, em psicanálise, travessia da castração. Espero que tenha esclarecido algo pra vc. Abraço, c.