quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Dia de festa


Há uma festa por aqui, apesar da quarta-feira de cinzas.
Para Bandeira, restou uma cinza fria, uma pouca cinza fria.
Para mim, há uma pequena fogueira incandescendo a minha alma, que insiste em viver abraçada à solidão dos séculos.

3 comentários:

Anônimo disse...

Christiana
Curti seus últimos posts. Vc relata de um jeito suave, gostoso.
(bem baiano rss) até viajo contigo!
Não ficou com congestão cultural? (rsss)
abraço paulista,
Clarice

paulo galo disse...

como viajar faz bem ao coração!

cacos meus botoes disse...

Clarice e Paulo: obrigada, não fiquei com congestão cultural não, Clarice, pra mim, qto mais cultura, sempre melhor! E sobre o "dia de festa", Paulo, não foi nenhuma metáfora do meu estado de espírito não, foi meu aniversário que celebrei aqui no meu "quintal de frente", a praia de Amaralina. Foi muito bom, vou publicar algo a respeito, inclusive com fotos. A fogueira era literal mesmo, como vc poderá ver. Beijos e obrigada pelo carinho, c.